Junho 20, 2024
Portugal Cultura França

“As muitas mortes de Laila Starr” premiada em França

A banda desenhada “As muitas mortes de Laila Starr”, de Ram V e do desenhador português Filipe Andrade, foi distinguida no sul de França, com um prémio literário que envolve estudantes do ensino secundário, livrarias e bibliotecas.

A organização anunciou hoje que o Prémio Literário de Liceus e Estudantes deste ano foi atribuído ao romance “On était des loups”, de Sandrine Collette, e à BD “As muitas mortes de Laila Starr”, que resulta de uma premiada colaboração do autor português Filipe Andrade com o argumentista indiano Ram V.

Este prémio literário é uma iniciativa da Agência Regional do Livro, da região de Provença, Alpes e Côte d’Azur, e o anúncio dos vencedores – um romance e uma banda desenhada – é o culminar de um ano em que centenas de jovens se envolvem em atividades em torno das obras candidatas.

O prémio é uma “vasta operação de coordenação” entre livreiros, bibliotecários e professores, juntamente com escolas secundárias e profissionais da região, que por sua vez escolhem júris, estudantes, que participam em encontros com autores e editores, debates e ateliers artísticos.

Editado no mercado francês pela Urban Comics, a BD “As muitas mortes de Laila Starr” foi amplamente elogiada pela crítica, esteve nomeada para os prémios norte-americanos Eisner e Harvey, nos Estados Unidos, e foi premiada pela Associação de Críticos e Jornalistas de BD de França.

A narrativa é ambientada na Índia e começa com a deusa da Morte a perder o seu propósito por causa do nascimento de um bebé que, no futuro, descobrirá a imortalidade. Relegada para o mundo dos vivos, no corpo de uma jovem mulher – Laila Starr –, a Morte seguirá o seu caminho em busca dessa pessoa.

“As muitas mortes de Laila Starr” é um livro marcado pela espiritualidade, sobre o sentido da vida e protagonizado pela figura da Morte, mas Filipe Andrade, depois coadjuvado pela colorista portuguesa Inês Amaro, desenhou uma obra profusamente colorida.

“Como a temática já era pesada eu não queria fazer uma estética pesada, queria jogar com o oposto, pulverizar com o máximo de cores possíveis, dar esse colorido que a moral da história também dá, através da dor”, explicou o autor em entrevista à agência Lusa em 2023, quando o livro saiu no mercado português.

Depois desta obra, Filipe Andrade voltou a colaborar com o argumentista Ram V na BD “Rare Flavours”, que já foi publicada em vários tomos e sairá em agosto reunida num só volume pela norte-americana Boom! Studios.

Deixe o seu comentário

  • Como avalia o artigo?
X