Junho 20, 2024
Comunidades Portugal

Jornal Roda Viva – Há 34 anos a aproximar Arouca às comunidades portuguesas

Jornal roda viva sr José silva

A primeira edição foi impressa a 13 de julho de 1989, altura em que nasceu o jornal Roda Viva, no concelho de Arouca. Desde então, formou-se uma ponte entre as comunidades portuguesas no estrangeiro, um autêntico cordão umbilical que aproxima a região à diáspora portuguesa. Do total de assinantes, 15% são emigrantes que querem “receber um pedaço de Arouca pelo correio”.

A história hoje é contada pelo filho, José Silva, que narra cada momento com emoção e saudade. Apaixonado pela escrita e pela região, foi Óscar Silva que fundou o Roda Viva há 34 anos, num ato audaz e corajoso que veio revolucionar a imprensa regional do final dos anos 80. Como terceiro jornal regional a surgir no concelho, o Roda Viva veio modernizar a imprensa local com um novo sistema gráfico e de impressão. “O meu pai foi sempre um apaixonado pela imprensa, apesar de não ter formação nem escolaridade. Sempre gostou de ler jornais, de ler revistas, e sempre foi uma pessoa irreverente, que gostava de dinamizar atividades na sua terra. Como os jornais que existiam na altura ainda estavam um bocado atrasados a nível gráfico, o meu pai decidiu criar um projeto jornalístico, num concelho onde já existiam dois jornais”, começa por recordar José Silva.

O projeto foi de tal forma bem-sucedido que atualmente é o único jornal a sobreviver no concelho. Desde a entrevista, à opinião, José Silva, atual diretor, não tem medo de “tocar na ferida” e de fazer jornalismo de investigação. “Continuamos com o espírito do meu pai. Ele era uma pessoa muito destemida, não tinha receio. Como um jornal que está ao lado dos mais frágeis, mas que não tem medo dos mais fortes, temos feito jornalismo de investigação, manchetes sobre casos judiciais, e isso credibiliza cada vez mais o jornal”, refere o diretor do Roda Viva.

Jornal Roda Viva Um jornal que é a paixão de uma família

Professor de profissão, foi José Silva e o irmão que assumiram o projeto do pai na altura do seu falecimento, em 1993. Ambos, desde tenra idade, absorveram o fascínio pelo jornalismo. “Em miúdo, juntamente com o meu irmão, criei um jornal. Fazíamos tudo numa máquina de escrever do meu pai, em folhas de papel químico, e depois vendíamos o jornal por cinco escudos aos pais dos nossos colegas e amigos. Sempre gostamos muito da área das letras”, atira José Silva.

O gosto em contar histórias aliou-se à paixão pela terra e da vontade fez-se mais de três décadas de dedicação a Arouca. O jornal Roda Viva é escrito por arouquenses e financiado, em grande parte, por empresas do concelho que nunca deixaram que o projeto perdesse vida. “Para tentar homenagear o nosso pai, decidimos prolongar o jornal em sua memória. Avançamos com um conjunto de empresários que nos apoiam financeiramente, através de publicidade, e com um conjunto de amigos que se tornaram colaboradores”, explica.

Uma ponte entre Portugal e o Mundo

É através do apoio da comunidade que o projeto não perde força e continua a somar leitores por Portugal e pelo mundo. Da comunidade de assinantes, que todos os meses recebe a edição do Roda Viva, 15% vêm da diáspora portuguesa. Da pequena vila de Arouca, o jornal ruma aos EUA, ao Brasil e a vários países da Europa. “Um jornal regional é uma região a conversar consigo própria, esta frase é lapidar. Num jornal local as pessoas têm uma maior proximidade quer com a redação, quer com os jornalistas, e até com o próprio órgão de comunicação social”, descreve José Silva.

A ligação vai além-fronteiras e estende-se às comunidades portuguesas no estrangeiro que veem o jornal impresso como uma relíquia das novidades da sua terra. “Ainda existe uma ligação umbilical às comunidades. Temos leitores espalhados por vários continentes que anseiam pelo dia em que o jornal lhes chega a casa. Uma vez um emigrante disse-me que, quando o jornal chega à caixa de correio, as lágrimas caem-lhe pela cara porque o jornal é um pedaço de Arouca”, conta com emoção.

Ao contrário do que acontecia há 30 anos, hoje os jornais regionais são uma minoria em Portugal. Com a redução do financiamento do Governo, que diminuiu a percentagem de portes financiados pelo Estado, e com a profissionalização do jornalismo, muitos jornais deixaram de ter tiragem e acabaram por desaparecer. A isto, soma-se a proliferação da internet e das redes sociais que vieram facilitar a comunicação entre as diferentes partes do Mundo. O jornal Roda Viva, cujo nome é inspirado no dinamismo dos arouquenses, contraria a tendência e continua a divulgar as histórias e as notícias da região de Arouca. Em 2024, data em que completa 35 anos, o jornal irá apresentar um novo website aos leitores que irá complementar o trabalho que é feito através da edição imprensa e das redes sociais do jornal.

Deixe o seu comentário

  • Como avalia o artigo?
X